Mais
Buscar

Riojob

Últimas Vagas Publicadas

Vaga Salário
Atendimento / Vendas A combinar
Atendente R$ 1.100,00
Desenvolvedor(a) ... Não divulgado
Programador FrontEnd A combinar
Sócio(a) A combinar

Empresas Anunciantes

  • Mini thumb banco providencia
  • Mini thumb avg
  • Mini thumb festival do rio
  • Mini thumb lamole

Entrevistas

Coletivo Salsicha Dodói

logos_dodoiMarcelo Mendes e Vinicius Marins têm em comum o gosto pelo rabisco, seja num guardanapo ou em folhas de Colorplus. Eles são a soma de Crumb, Ultramen, Freak Brothers, Laerte, Angeli, Baseman, Biskup, Murakami, The Soft Pink Truth, Jan Švankmajer, Toy Art, Grafite, Tattoo, Parede, Posca, Moleskine, Tinta, Pincel, Lápis, Sienkiewicz, Hopper e por aí vai… Conversamos com ele entre um rabisco e outro, descobrimos como é o processo de criação da dupla, suas inspirações e claro, como nasceu o inusitado nome.

Veja todas as obras em: Coletivo Salsicha Dodoi

Como surgiu a parceria entre Marcelo Mendes e Vinicius Marins?

Vinicius: Nós trabalhamos juntos em uma agência de publicidade no Rio. Após descobrirmos o gosto em comum pela ilustração, pegamos uma folha enorme de papel colorplus e continuamos o diálogo ali, só que com desenhos.

Marcelo: A gente colou essa folha na parede e foi desenhando durante uns dois meses, assim nasceu o primeiro trabalho.

Salsicha_Dodoi

Então esta primeira interação foi por impulso, emocional? Qual foi o resultado no papel?

Vinicius: Um impulso emocional e uma válvula de escape aos prazos e jobs publicitários. O resultado foi o melhor possível para a dupla, pois deu pra sacar onde podíamos melhorar e mesclar melhor o trabalho e os estilos.

Hoje como funciona o processo de criação? Existe um planejamento sobre o tema da obra antes de começar?

Vinicius: O processo de criação não se alterou muito. Sempre planejamos a base, o mote de cada trabalho antes de começar. Esse planejamento se traduz em conversar, rabiscos em sketchbooks, pesquisas na web, músicas que escutamos e demais influências midiáticas, por assim dizer.

Marcelo: Sim, sempre é planejado antes nos nossos famosos caderninhos. Mas isso não é engessado, a gente vai vendo o que surge… na hora também rola muito improviso.

Os dois trabalham em todas as criações? Simultaneamente ou em tempos diferentes?

Vinicius: Estamos sempre trabalhando ao mesmo tempo na mesma folha. Isso ajuda muito a determinar os rumos da ilustração. O mais interessante foi que chegamos nesse método do mesmo modo que fazemos tudo: no diálogo e no respeito pelo espaço e opiniões do outro.

Marcelo: Até agora tem sido assim nos trabalhos feitos com canetas e tintas. Mas nós começamos recentemente a fazer uns testes digitais, aí cada um trabalha um pouco e passa o arquivo para o outro trabalhar. Esse novo “método” surgiu da necessidade de reprodução em série do nosso trabalho.

Que músicas vocês escutam no momento da criação?

Vinicius: Nos reunimos na casa do Marcelo, ele é o “DJ”.

Marcelo: Como até agora a gente tem trabalhado aqui em casa, eu tenho sido o “DJ” residente, então só tem rolado música eletrônica experimental, krautrock, noise rock e coisas afins. Mas quando o Vinicius começa a ficar muito verde, eu lanço um som mais dançante, tipo The Soft Pink Truth pra relaxar o ambiente.

Vinicius: Só para registro, eu tenho ficado menos “verde” agora! :)

Crumb, Ultramen, Freak Brothers, Laerte, Angeli, Baseman, Biskup, The Soft Pink Truth e Jan Švankmajer são alguns dos seus influenciadores. Quem vocês querem influenciar?

Vinicius: Acho que nós mesmos! Esse tipo de pensamento nunca nos ocorreu.

Marcelo: Eu? influenciar alguém? não desejo isso pra ninguém.

Qual o objetivo do Coletivo Salsicha Dodói? O que pretendem fazer com as obras?

Vinicius: Acho que ter o nosso trabalho reconhecido como “produção artística” já é parte do objetivo. Daí pra frente é conseguir expor e expor!

Marcelo: Colocar nossos demônios pra fora.

E o nome Coletivo Salsisha Dodói, o que significa?

Vinicius: Meu trabalho é bem influenciado pelo Gary Baseman. Desde que o descobri, tenho estudado muito sua forma de trabalhar e os resultados. A salsicha foi minha interpretação de uma forma orgânica que ele usa bastante. Eu sempre acabo colocando isso nos nossos trabalhos, o Marcelo percebeu isso e um dia comentou algo do tipo: faz mais dessas salsichas dodóis. Eu disse na hora: – Esse é um ótimo nome para o Coletivo!

Marcelo: Durante um transe psicótico dada/surrealista, nós recebemos telepaticamete a missão de expor os mistérios secretos das ilustrações divinas através da sigla Coletivo Salsicha Dodói, que a principio pode parecer uma brincadeira tola, mas é na verdade a resposta para profundos mistérios telúricos ainda sem explicação.


Últimas Entrevistas

Economia Criativa e algumas dicas para vagas no setor

Não é de hoje que a economia criativa busca profissionais à frente do seu tempo, com visão de vanguarda e espírito empreendedor, que levem o negócio a sério e o tratem como se fosse seu. Neste cenário dinâmico e promissor é que desperta o grande interesse dos candidatos, porém, vale ressaltar que as exigências não são poucas, tão pouco fáceis – mas possíveis.   Veja abaixo algumas dicas sobre qualificação para [...] Ver Mais

Ila Fox, ilustradora freelancer

Ila trabalha com ilustrações através da internet, atendendo clientes pelo mundo afora. Ela ama o seu trabalho, e se considera feliz por ter a chance de poder fazer parte de um momento importante na vida dos meus clientes! Ver Mais

Anápuáka, o índio conectado

Anápuáka Muniz Tupinambá Hã hã hãe é índigena e é conectado. De etnia Tupinambá e Pataxó Hã hã hãe, saiu da Aldeia Água Vermelha (Bahia) quando tinha 13 anos. Veio para o Rio de Janeiro, morar e estudar. Formou-se em Gestão em Marketing e Jornalismo de Políticas Públicas Sociais. Iniciou sua carreira profissional trabalhando com rádio, jornais, revista e livros – fazendo da pauta ao projeto gráfico. Hoje Anápuáka [...] Ver Mais

Comments are closed.

Dicas de Livros, DVDs, Tecnologia, etc.